quinta-feira, dezembro 06, 2012

Corrida Monumental - Nada pode ser maior!

1-Corrida Monumental

NADA PODE SER MAIOR, essa expressão utilizada pela torcida do Grêmio a muito tempo, serve perfeitamente para explicar o sentimento de participar da Corrida Monumental no último sábado (01/12). O momento histórico de despedida do Estádio Olímpico, a maior corrida do sul do Brasil, com mais de 10.400 participantes, a volta olímpica dentro do estádio, a medalha, o ambiente de dia de jogo, tudo, todos detalhes, fazem com que essa corrida se torne uma daquelas histórias que irei contar e lembrar por muitos e muitos anos, talvez pra sempre.

DIA DE JOGO

2-IMG_0980Chegamos no Olímpico por volta das 16:30h, o clima era de dia de jogo. Além das pessoas que estavam lá para retirar o kit e participar da corrida, muitas outras apenas aproveitavam o evento para se despedir da velha casa Gremista.

Com o passar das horas e proximidade da primeira largada, o pátio do Olímpico foi sendo tomado por um mar azul. Gremistas, de todos os tipos, querendo de alguma forma demonstrar a paixão pelo seu time de coração. Era nítido que muitos ali não corriam, e talvez nem voltem a correr, mas queriam de alguma forma mostrar que pelo Grêmio, “até a pé nós iremos”!

As imagens da largada, são de arrepiar!  Acesse este link para ver a imagem aérea da largada na reportagem do Globoesporte.com - http://grem.io/dyn.

MINHA PARTICIPAÇÃO

É muito difícil escrever um relato sobre esta corrida e não misturar sentimentos. Correr era apenas um detalhe naquele sábado, mas talvez a grande causa pra tanta coisa legal acontecer ao mesmo tempo.

Como a largada dos 3km era as 20:15 e a dos 9km (prova que eu estava inscrito) era somente as 21:00, decidi acompanhar meu pai e minha irmã na primeira largada. Foi demais, sem ter como descrever, só mostrando: (Veja o vídeo abaixo)

Largada da Corrida Monumetal

Era praticamente impossível correr, o espaço reservado para corrida era muito pequeno para aquela multidão, mas não tinha o que reclamar, se não dava pra correr, o negócio era comemorar. Corri na pipoca por 1,7km (11min), que além de servir de aquecimento, também ajudou a baixar a adrenalina e diminuir a ansiedade para a largada dos 9km.

Voltei para o local da largada e só restava esperar. E esperamos bastante, pois a largada dos 9km atrasou 23 minutos. A quantidade de atletas aguardando para correr já não era tão grande, mas ainda existia a euforia de logo poder entrar no estádio e dar a volta olímpica de despedida do olímpico.

Não tinha intenção de ir rápido, mas não consegui ir tão devagar assim. O percurso como falei era um pouco estreito para tanta gente, e até escuro em alguns trechos, mas a partir da segunda volta (de 3 no total) já era possível correr com mais espaço.

O momento engraçado da corrida ficou por conta de um encontro inusitado. Estava eu passando por alguns corredores, quando um deles pergunta para o que estava ao seu lado: “Que distância já corremos?”, este outro corredor respondeu: “Não sei”, então olhei no Garmin e tinha aproximadamente 2,5km percorridos e com o intuito de ajudar virei para o que tinha perguntado e respondi dando a distância. Para minha surpresa, quando olho para o corredor a quem informei a distância, descubro que era o Peninha (Eduardo Bueno), escritor, historiador e gremista dos mais fanáticos que existem, quase um símbolo gremista.

No túnel da acesso ao interior do estádio, já não pensava mais em correr, queria aproveitar cada segundo daquele momento. Olhava para as arquibancadas, para o gramado, para todos os lados, feliz de poder viver aquela emoção, de estar dentro do Olímpico Monumental.

Faltando uns 250 metros para a chegada, a grande surpresa: Do nada aparece como um raio ao meu lado, meu pai. Ele que tinha corrido antes, arrumou um jeito de entrar correndo novamente na pista do estádio para me encontrar, foi um momento pra nunca mais esquecer. Eu e o cara que me fez Gremista, correndo ali na beira do gramado do Olímpico.

Tive a felicidade de poder registrar este momento, e ele também! Dá uma olhada nos vídeos e veja se não tenho motivos pra me emocionar:

RESULTADO

O resultado na verdade foi o que menos importou. Acabei correndo os quase 9km (8,48km) em 44’32”, um pace médio de 5’15”/km.

Mas o que realmente fez valer a pena cruzar a linha de chegada, foi ganhar a bela medalha de lembrança da corrida e do estádio Olímpico. Em março do ano 2013 está prevista a demolição do estádio, e a medalha que é uma miniatura do Olímpico ficará pra sempre como uma lembrança da velha casa Gremista. Daqui a alguns anos, poderei dizer que sou um dos privilegiados que possui esta recordação.

IMG_0743-horz

RESULTADO GARMIN

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...