quarta-feira, julho 24, 2013

Podia ser pior!

As imagens das "Cordilheiras Palhocenses" servem pra dar uma idéia do frio que se instalou na grande Floripa essa semana.

Mas essa friaca, apesar de nos presentear com belas imagens, é sem dúvida uma sanguessuga de motivação.

Nessas horas de preguiça pra encarar o frio, eu tento lembrar do tempo que ia surfar no Cassino com 2ºC no termômetro da rua. O congelamento começava na hora de tirar a roupa e colocar o long john, a bota de neoprene também era item obrigatório, afinal os pés ficavam a maior parte do tempo dentro d'água.

Furar a primeira onda era outro momento dolorido, chegava a trincar as temporas e as vezes dava até dor de cabeça, sem falar naquela primeira gota que entrava pela nuca e escorria por dentro da roupa de borracha, congelando vértebra a vértebra.

Depois de 30 minutos dentro d'água, os dedos das mãos já não respondiam direito a certos movimentos, e as vezes era preciso colocar a ponta dos dedos debaixo da língua para não congelar de verdade. Tudo isso pra satisfazer a alma pegando uma ou duas ondas.

Sair do mar, secar o corpo, colocar uma roupa e se aquecer com um chimarrão, na maioria das vezes era a melhor parte da jornada.

Quando lembro desse martírio que era surfar no extremo Sul do Brasil, me coloco numa posição desconfortável ao pensar em desistir de encarar um "friozinho" qualquer pra correr.

Correr no frio é infinitamente mais confortável do que surfar em um mar congelante. Palavra de quem já experimentou os dois!

Correr no frio nem é tão ruim assim. Se bem que nunca corri de calção na neve!!!!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...